® 2012/2019 by Revista Mundo da Fama On Line

Obra do polêmico Nelson Rodrigues ganha nova temporada em Setembro, desta vez no teatro Poeira

04/09/2019

Em “Pouco amor não é amor”, o diretor Sidnei Cruz dá novo sabor aos ingredientes rodrigueanos: amor, morte, família, loucura, traição e ciúme

 

 

A estreia no Teatro II do Sesc Tijuca foi ótima, e agora a montagem do diretor Sidnei Cruz para a obra “Pouco amor não é amor”, de Nelson Rodrigues, é a atração de setembro no Teatro Poeira, em Botafogo.

 

Essa segunda temporada será de 3 a 25 de Setembro, às terças e quartas-feiras, com sessões às 21h. O texto reúne os contos da obra homônima que o dramaturgo publicou, originalmente, entre 1953 e 1954, nas edições dominicais do Jornal da Semana - Flan.

 

Dando vida aos diversos personagens, estão Alan Pellegrino, Daniel Chagas, Deborah Rocha e Gisela de Castro. O destaque da atuação dos atores está na dinâmica de fazer vários personagens, com pouquíssimas mudanças de figurino, contando apenas com variações no penteado, diferentes adereços, explorando os recursos de voz e entonação. “O jogo teatral é totalmente surpreendente por causa disso. Nós ensaiávamos propondo coisas, e a Patrícia Muniz fez um trabalho incrível”, explica Gisela.

 

Fotos:Sabrina Paz

 

Surpreendentes também são o olhar e as novas cores que o diretor joga sobre o poderoso, envolvente e destruidor Nelson Rodrigues. Cruz faz uma montagem inusitada, mostrando o dramaturgo de forma diferente, extraindo humor do texto, sem que se percam os ingredientes rodrigueanos – amor, morte, família, loucura, traição e ciúme.

 

Cruz soube explorar bem o melodrama cômico, inclusive inserindo a plateia no jogo de cena, o que potencializou tensão e desejo, outras duas armas do “anjo pornográfico”.

 

A montagem abre ao som de "Me deixa em paz", de Monsueto, e fecha com "Eu sei que vou te amar", de Tom Jobim e Vinicius de Moraes. A encenação busca instaurar uma atmosfera de intimidade com o público.

 

“A montagem insere os espectadores numa configuração de teatro de arena, onde todos são vistos por todos, criando um ambiente de cumplicidade e espelhamento. Os atores transitam e transformam-se entre o público, envolvendo-o num carrossel de pulsações.

 

Nesse teatro da intimidade, o público vê o que pensa o personagem, espreitando pelo buraco da fechadura a vida psíquica como ela é”, explica o diretor, observando que as histórias reunidas em “Pouco amor não é amor” tratam dos temas mais caros ao escritor, numa espécie de “A vida como ela é...” ampliada.

 

 

Fotos:Sabrina Paz

 

A primeira temporada no Teatro II do Sesc Tijuca foi excelente e chamou a atenção do crítico teatral Francis Fachetti, que considerou a direção de Sidnei Cruz muito bem-sucedida porque “cria uma atmosfera envolvente entre atores e plateia, graças também ao texto ácido e preciso de Nelson Rodrigues, marca do dramaturgo que foi mantida e valorizada nessa montagem”.

 

Para Fachetti, a direção está em perfeita conexão com os recursos do melodrama utilizados pelo autor; recursos estes “muito bem engendrados, em um trabalho de atuações expansivas, polidas e envolventes”. E conclui elogiando o “belo e visível trabalho corporal, impulsivo, sexual” do elenco.

 

            Fotos:Sabrina Paz

 

Sobre a obra de Nelson Rodrigues

Reunindo contos escritos em 1953 e 1954, o livro “Pouco amor não é amor” foi publicado em 2002 pela Companhia das Letras, na Coleção Baú de Nelson Rodrigues. Oscilando entre o trágico e o patético, os contos do livro desenham uma radiografia das relações amorosas cariocas dos anos 1950.

 

Esta incursão pelas relações amorosas do Rio de meados do século XX forma um todo coerente, que retoma a experiência do repórter policial que Nelson havia sido. Os textos também aprofundam um traço de sua obra que já se transformara na marca do estilo e da visão de mundo do autor: a percepção ao mesmo tempo trágica e patética da alma humana.

 

Para o diretor Sidnei Cruz, “existem várias facetas de Nelson Rodrigues. Por isso, ele continua sendo um autor maldito, polêmico, demolidor de costumes”.

 

Serviço

“Pouco amor não é amor”

Com Alan Pellegrino, Daniel Chagas, Deborah Rocha e Gisela de Castro

Classificação indicativa: 12 anos

Duração: 55 minutos

Temporada de 3 a 25 de Setembro

Dias: terças e quartas

Horário: 21h

Ingressos: R$ 60 (inteira), R$ 30 (meia)

Teatro Poeira - R. São João Batista, 104 - Botafogo

Lotação: 160 lugares 

 

 

 

Por Sheila Gomes - RJ

Colaboradpora na RMF/OnLine

Please reload

Destaques

Stéfani esclarece fatídico caso do pepino na estréia da nova temporada De Férias com o Ex Brasil em "A treta não tira férias"

08/01/2020

1/10
Please reload

Ultimas Noticias
Please reload

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Please reload