• RMF

Saiba como identificar o seu tipo de pele


Os cosméticos certos podem fazer toda a diferença

Ao comprar produtos para a pele, sempre bate a dúvida de qual tipo de pele temos, para assim utilizarmos o material específico. A dermatologista Thais Pepe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, explicou como tirar essa dúvida.

“O que define se a pele da pessoa é normal, seca, oleosa ou mista é a genética. Mas fatores como o envelhecimento, a exposição solar, a alimentação e o uso de sabonetes, maquiagens e cosméticos inadequados também podem levar ao desequilíbrio da pele”, explica a dermatologista.

Em publicação da 'Vogue', Thais Pepe falou sobre os diferentes tipos de pele. Confira!

PELE NORMAL

A pele normal é naturalmente bem hidratada, pois produz óleo em quantidade adequada, sem ficar muito seca ou oleosa. Este tipo de pele apresenta uma textura saudável e aveludada, com poros pequenos e pouco visíveis, além de ser a que menos desenvolve problemas como espinhas e manchas. Porém, apesar de a pele normal ser ideal, ela também necessita de cuidados para que se mantenha saudável. “Para cuidar da pele normal é necessário limpá-la com sabonetes suaves e não muito agressivos e depois tonificá-la”, diz Thais.

PELE SECA

Já a pele seca é aquela que tem deficiência em produzir gordura de boa qualidade para formar uma membrana hidrolipídica. Por isso, apresenta um aspecto áspero, rígido, sem brilho e com poros quase invisíveis, além de ser mais sensível e ter propensão a desenvolver rugas mais facilmente. “A pele seca não deve ser esfoliada, mas sim higienizada com emulsões de limpeza à base de extratos calmantes e tonificada com loções sem álcool. A hidratação deve ser feita logo em seguida, com cremes mais pesados, pois é o principal cuidado que essa pele necessita.

Após a hidratação, deve-se passar um creme específico para a região da área dos olhos e finalizar com um protetor mais espesso com FPS mínimo 30. É importante também evitar banhos muito quentes e demorados”.

PELE OLEOSA

Enquanto a pele seca é mais rara, a pele oleosa é a mais comum no Brasil, devido ao clima tropical, a alimentação gordurosa e a exposição solar. Segundo a dermatologista, este tipo de pele possui poros abertos e dilatados e secreta uma grande quantidade de oleosidade, o que a deixa com aspecto brilhante e espesso. Além disso, esse tipo de pele tem maior tendência a formar cravos e espinhas.

“Durante os cuidados com esse tipo de pele, não se deve ressecá-la demais, para que não ocorra um efeito rebote. Então, deve-se realizar a limpeza de duas a três vezes por dia com sabonetes líquidos que contenham ativos calmantes e seborreguladores. Essa pele também deve receber, de duas a três vezes por semana, uma esfoliação, para ajudar na renovação do estrato córneo e no desentupimento dos poros.

Para finalizar a fase da limpeza, é de extrema importância o uso de uma loção tônica adstringente, que pode ter álcool, mas em uma quantidade pequena”, recomenda.

“Após a limpeza, essa pele precisa ser hidratada, pois oleosidade e hidratação não são sinônimos. Esta etapa deve ser realizada com séruns e loções oil free ou com ativos que façam o controle da oleosidade. O uso de protetor de toque seco e rápida absorção é indispensável.”

PELE MISTA

Também bastante frequente, a pele mista caracterizasse por apresentar oleosidade e poros dilatados na zona T (testa, nariz e queixo) e ressecamento na área dos olhos e das bochechas.

“Na pele mista, a zona T é a que deve receber maior atenção. Então, pode-se fazer a mesma higienização da pele oleosa, utilizando sabonete líquido com ativos calmantes. Depois, é necessário o uso de uma loção tônica adstringente, porém, apenas na zona T. A hidratação deve ser feita com séruns e loções mais leves e a proteção solar pode ser realizada com um filtro hidratante e com cor, para homogeneizar a textura da pele”, explica a especialista. cred:noticiasaominuto

#Pele

1 visualização

   ®2020 by Revista Mundo da Fama On Line